Smash, a resposta madura ao fenômeno Glee

 

Desde que Glee estourou, sinto que Ryan Murphy tem se preocupado em passar a mensagem de que “it’s ok to be different”, dar uma voz aos pobres e oprimidos e hoje em dia me parece mais um seriado pedante que desmerece o público e, de quebra, tem uma das protagonistas mais antipáticas da história da televisão, Lea Michelle (na minha humilde opinião). Falo tudo isso como alguém que não vê o seriado desde o primeiro episódio da 2ª temporada mas vejo ele em todo lugar, portanto me sinto livre em tirar certas conclusões, já que conheço o modos operanti do Ryan Murphy desde os longínquos tempos de Popular, uma ótima série em sua primeira temporada que ele destruiu na 2ª do mesmo jeito que fez com Glee (e, bem provavelmente American Horror Story).

Mas, querendo ou não, esse pequeno musical semanal acabou virando febre, então a rede americana NBC resolveu criar um adversário a altura chamado Smash. Produzido por Steven Spielberg (sucesso de público e crítica no primeiro episódio? Bem provável) o musical mostra os bastidores e (falta de) glamour em se montar uma peça da Broadway em cima da vida de Marilyn Monroe. Com Debra Messing, Angelica Houston e a rejeitada do American Idol, Katherine McPhee como protagonista, o trailer mostra uma variedade de pontos positivos, como histórias interessantes e realistas para diversos personagens e apenas um negativo (Angelica Houston aparece apenas com um sorriso leve no rosto enquanto vê as moças cantarem. Oi, alguém dá uma fala para a melhor atriz que vocês tem nessa merda??).

Intercalando entre composições originais e músicas inseridas especialmente para seu público alvo (Somewhere Over The Rainbow, te amo), Smash pode realmente não estourar, mas certamente tem potencial. Se acabar pegando, eu acho que a atriz Megan Hilty, que interpreta a rival de McPhee, Ivy Lynn, vai ser o verdadeiro destaque da produção.